A Psicologia por Trás da Tatuagem



Você já parou para pensar no porquê de se tatuar? Lá no começo da história da humanidade, as cicatrizes eram exibidas com orgulho, uma forma de mostrar que sobreviveram a uma guerra, por exemplo. Com o passar do tempo, os homens passaram a reproduzir esses sinais utilizando espinhos e tintas vegetais, com o mesmo propósito: demonstrar força. Hoje, a técnica é diferente, mas o objetivo não é tão distinto assim.

É muito raro alguém que faz uma tatuagem e não curte mostrá-la para outras pessoas. Isso acontece porque o desenho continua sendo um motivo de orgulho, algo que faz com que a pessoa se destaque num grupo, a torne única, modificando sua autoestima. Há quem também utilize a tatuagem como uma espécie de amuleto no dia a dia, algo que protege e guia quem a possui. 

Tem quem goste de tatuar letras de músicas que têm um significado especial para si. Tem quem tatue símbolos de livros, séries e filmes que foram importantes nas suas vidas. Há ainda quem - com muita ousadia, diga-se de passagem - tatue nomes de pessoas amadas. Os significados podem ser muitos, mas o objetivo acaba sendo bastante comum.

*Inspirado nesse artigo do site Fãs da Psicanálise

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terapia Sexual - como é?

Terapia familiar ou individual?