Postagens

Mostrando postagens de 2016

A cultura pornográfica

Por Jackson César Buonocore  (Sociólogo e Psicanalista)
Os dados são alarmantes e indicam o aumento de consumidores da cultura pornográfica, que acabam imersos num vazio existencial. São sérios os problemas causados pela cultura do sexo fácil ofertado pela pornografia. A sexualidade é um conjunto de relações corporais, afetivas e psíquicas. Estas três realidades precisam estar coesas para que a pessoa tenha uma sexualidade saudável. Nesse sentido, Freud explicou a vida humana, recorrendo ao termo libido para destacar a importância da energia sexual na saúde dos indivíduos. Mas os fatos revelam que a pornografia degrada a energia sexual. A cultura pornográfica atinge homens, mulheres e até crianças. Com a internet, os acessos a estes conteúdos chegam acerca de 28 mil por segundo em todo o mundo. Estima-se que 6% da população mundial tenha alguma compulsão pela pornografia, sendo que maioria dos casos incidem sobre os homens. Mas há um fenômeno preocupante, o crescente nú…

Para melhorar a comunicação no relacionamento

A comunicação une ou separa pessoas. Ruído na comunicação é o principal fator gerador de brigas dentro de um relacionamento. Se os dois não tiverem dispostos a se ouvirem, se não estiverem dispostos à ouvir o que o outro sente. Se não tiverem dispostos a dizer o que sente, então o relacionamento pode estar datado. Aqui seguem 10 dicas minhas, como psicólogo, para melhorar a comunicação dentro de um relacionamento.
1: Conversar sem brigar.
Toda briga nasce de uma conversa. Toda briga nasce de uma conversa em que um não quer falar sobre, e o outro precisa falar sobre. Se algo precisa ser dito na relação, então esse algo precisa ser ouvido. 2: Dizer que não gosta de algo sem ofender.
Você consegue dizer que não gostou de alguma coisa que o outro fez, ou disse, sem usar palavras definitórias. Exemplo. Substitua o “Você é grosso (a)” para “Não gostei da forma como falou. Porque pareceu ríspido demais.” 3: Ouvir sem se ofender.
Não é porque o outro apontou algo que não gostou, qu…

5 coisas que você não sabia sobre a pedofilia - O que a psicologia, a neurociência e a biologia tem a dizer sobre a violência sexual contra crianças

Casos graves de abuso sexual de crianças aparecem nas capas dos jornais com frequência. Há muita confusão, porém, na forma como o assunto é tratado na esfera pública. A ciência, nas últimas décadas, avançou muito na compreensão do fenômeno da pedofilia tanto do ponto de vista biológico quanto do social. A GALILEU selecionou alguns fatos que te ajudarão a compreender um dos crimes mais brutais que existem, com consequências incalculáveis para a saúde mental e física de centenas de milhares de crianças todos anos. Nem todo abusador de crianças é pedófilo, e nem todo pedófilo pratica crimes sexuais O termo “pedófilo” se refere à pessoa que sente atração sexual por crianças. Isso não significa que todo pedófilo seja um abusador ou consuma conteúdo pornográfico infantil, nem que todo ato de violência sexual praticado contra uma criança  seja cometido por um pedófilo. De fato, há, na literatura científica, registro de pedófilos que buscaram tratamento para conter sua libído sem t…

Por que entramos em relacionamentos abusivos?

Por Stephanie Mascarenhas
Frequentemente, identificamos pessoas em relacionamentos extremamente abusivos, o que pode nos gerar revolta e indignação. Aquela pessoa amiga, inteligente, independente, de repente está presa num papel de submissão e violência psicológica que não desejamos para nenhuma pessoa querida. É o tipo de situação que juramos que nunca aceitaríamos até que…um dia nos vemos nela! Mas, por que isso acontece?
Características do relacionamento Um relacionamento abusivo é aquele no qual um dos envolvidos assume a posição de objeto, se colocando na função de satisfação do outro. Consequentemente, este se subjuga de forma que os desejos e vontades do parceiro sejam a prioridade na relação, enquanto os seus são anulados ou colocados em segundo plano. A dificuldade em dizer não do indivíduo subjugado é uma das principais características desse tipo de relacionamento, sendo percebida pelo outro, que se aproveita dessa limitação. Assim acontecem os abusos emociona…

Alguns sintomas físicos do estresse

Imagem
Por Amanda Cruz
Uma pessoa que está passando por um alto nível de estresse é, geralmente, conhecida por sua irritabilidade, nervosismo ou desequilíbrio emocional. Porém, quem vive na pele as consequências desse problema pode notar alguns sintomas que vão além dos aspectos comportamentais, afetando a pessoa fisicamente. “Aquilo que não conseguimos lidar emocionalmente acaba sendo descarregado no corpo, se expressando através de sintomas físicos”, afirma a psicóloga Marina Vasconcellos. Separações, dificuldades financeiras, pressão no trabalho, luto e a rotina desgastante podem acarretar em um quadro de alto estresse. Abaixo, conheça alguns dos sinais que o corpo apresenta nessas situações:
1. Dificuldade para dormir O estresse em excesso é capaz de atrapalhar e muito o sono, pois a pessoa não consegue parar de pensar em seus problemas. “Determinados acontecimentos podem ser facilmente vividos e elaborados por alguns, mas não por outros, que não conseguem encarar a questão…

Baixa autoestima e falta de amor próprio provocam ansiedade

A ansiedade é um mal que acompanha gerações há anos. A sensação de desconforto não chega a ser classificada como uma doença, mas sim como um sintoma preocupante que pode culminar em uma série de inconvenientes relacionados à saude e à vida pessoal. O mal estar é provacado, basicamente, pela insegurança em relação a situações que só vão acontecer no futuro. “Pessoas ansiosas vivem em alerta e sofrem por algo que pode ou não acontecer”, define o psicólogo Thiago Sampaio. Intimamente ligada ao medo – e confundida com ele -, a ansiedade é acionada pelo corpo, especificamente por uma área do cérebro que percebe algum tipo de ameaça ou perigo e, a partir daí, o mecanismo de defesa passa a funcionar. “A principal diferença entre medo e ansiedade é que o primeiro surge em situações de risco imediato, já a segunda não altera a racionalidade e está voltada para o que não aconteceu”, explica o profissional.
Baixa autoestima e falta de amor próprio provocam ansiedade
O sentimento dis…

A importância de uma mulher se mostrar sempre atraente para o seu marido.

Por Maria Lúcia Pinheiro Psicóloga - Clínica SENTIRE 
Como ela deve fazer para nunca deixar a paixão e o desejo acabarem no casamento? O que ela deve fazer para se mostrar sempre atraente para seu marido, evitando que ele fique olhando outras?
      Mais importante do que a exigência de mostrar-se sempre atraente para o parceiro é sentir a própria vida como atraente. A luta incansável para atender a expectativa do outro não é saudável, pois nessa batalha esquece-se algo muito valioso e importante: criar e atender expectativas próprias. Isto é, dar sentido a própria vida, sentir prazer em ser si mesmo, amar-se e respeitar-se. Manter a individualidade, cultivar sonhos, preservar valores é o que de fato torna alguém interessante para outra pessoa.       A paixão faz parte de um aparato evolutivo do ser humano em prol da reprodução, dura em média dois anos, tempo hábil para acontecer a conquista, o ato sexual, a gravidez e o período de maior dependência da mulher e do bebê. Contudo, em nossa …

Pare de querer controlar tudo! Faça sua parte e deixe a vida acontecer

A vida é isso, instantes, momentos. Ao falar isso, me vem à mente uma metáfora feita por Rubem Alves ao dizer que cada ano é como um palito de fósforo que se passou e não mais acenderá. Podemos reduzir essa metáfora aos momentos: cada momento é um palito que, depois de aceso, não mais tornará a acender. Mediante isso, o que cabe a mim é deixar esse palito queimar ao máximo que eu puder segurá-lo em meus dedos.
Não há atrasados, apenas tempos diferentes. Como cantou Renato Russo “Temos nosso próprio tempo”. O tempo não é obrigado a seguir ordens cronológicas, não necessariamente beneficia “quem chegou primeiro”. Simplesmente, o tempo sabe a hora de chegar para cada um. São tempos diferentes para cada, mas ele sempre vem. Entretanto o momento certo só o próprio tempo sabe. Não há quem o segure, como também não há quem o apresse. Somos alheios a ele. O que cabe a nós é a tarefa de plantar, de cultivar o que desejamos colher.
E, nos momentos de alegria, jubilar, e nos moment…