Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2012

Prepare sua mente para o novo ano

Por Luiz Alberto Py
Um novo ano vai começar e é sempre bom lembrar que nossa alma se alimenta da crença de que as coisas podem mudar para melhor. Para ser otimista não é necessário inventar nada, basta lembrar de tudo de ruim que já nos aconteceu e de como as situações terríveis porque passamos foram resolvidas, superadas, ou simplesmente acabaram. Depois da tempestade vem o bom tempo, quem apostar nisto ganhará sempre. A chegada de um novo ano é um período apropriado para se usar o tempo disponível e fazer uma avaliação do que foi para você o ano que passou e de como conduziu sua vida - ou se foi por ela levado. A mudança de ano é apenas uma marcação artificial do tempo, qualquer dia poderia ser o primeiro ou o último, mas essa passagem lhe dá a oportunidade de fazer um levantamento dos últimos 365 dias e um planejamento para os próx…

Feliz Natal

A imagem idealizada de Natal é justamente a de estar em perfeita harmonia com a família, o que nem sempre é possível em virtude do estresse crescente estar afetando diretamente as relações familiares e as exigências cada vez maiores no mundo do trabalho estão tirando a maior parte do tempo e do ânimo para se estar em família. Isto é especialmente doloroso para as pessoas que se encontram sozinhas, longe da família ou que não tenham família. Para estas pessoas é literalmente impossível estar na companhia de familiares e enquadrar-se na imagem ideal de passar esta época do ano em harmonia com a família. Esta idealização faz com que elas desejem algo que não têm e que, muitas vezes, nem sentem falta ou que pelo menos estejam adaptadas. Esta "falta" fabricada surge com força no fim de ano, e as pessoas precisam refletir se é isto o que elas realmente desejam ou s…

Conectados a toda hora: O uso excessivo de celulares e tablets

A suprema delicadeza de ver, enxergar, ouvir e escutar o outro por Regina Wielenska Tenho observado como as pessoas cada vez mais parecem depender fortemente de seus celulares ou tablets. Fico intrigada com alguns casais que vão jantar fora e ficam calados, cada um com seu aparelho, os dois envolvidos com e-mails, mensagens no Facebook e outras coisas. Para que teriam saído juntos? Mera obrigação, para cumprir tabela? Não tenho respostas. Apenas constato que a comunicação entre eles parece mínima e passam o tempo da refeição principalmente se relacionando com o aparelho.

Talvez a navegação na web seja a salvação honrosa para um convívio insuportável, ainda que obrigatório. Ou será quase o inverso: esses e outros gestos de sutil descaso é que mataram a afetividade que outrora existiu entre os parceiros?

Ontem vi um comercial no qual o pai di…

Terapia Sexual - como é?

Saiba como funciona a Terapia Sexual: Por Heloísa Noronha Sessões
As sessões acontecem a sós e com o (a) parceiro (a). “É importante conversar com os dois juntos e observar se ocorre alguma alteração comportamental ou algum constrangimento”, diz Amaury. Quem não está vivenciando nenhum tipo de relacionamento também pode se beneficiar desse tipo de terapia para conhecer e vivenciar sua sexualidade de maneira mais plena. As sessões têm o tempo de duração comum às terapias convencionais: de 45 minutos a uma hora. A vida pessoal e sexual de cada um é esmiuçada, já que a origem de muitos problemas pode ter a ver com a educação recebida dos pais, a religião e as primeiras experiências. Técnicas
Algumas pessoas acham que o terapeuta sexual ensina, no consultório, técnicas mirabolantes para conseguir orgasmos múltiplos, por exemplo. Essa suspeita tem seu fundo de verdade. “Trabalhamos com técnicas diversas que variam de caso a caso”, afirma Valéria Walfrido. “Demonstram-se movime…

Tribuna do Norte | Crescem vendas de produtos sensuais

Entrevista concedida pela psicóloga e sexóloga Maria Lúcia Pinheiro ao Jornal Tribuna do Norte:

Tribuna do Norte | Crescem vendas de produtos sensuais

Diálogo e liberdade são importantes

Para uns quanto mais diversificado os brinquedos do parquinho, melhor a brincadeira. Para outros nem tanto. Isso serve também entre os casais que querem introduzir os produtos sensuais na relação. Por isso, o primeiro cuidado quando se decide levar novidades para a relação sexual é saber se o outro está realmente curtindo a ideia.

"A brincadeira do adulto é o sexo e nada mais normal do que ter alguns brinquedinhos para animar a relação. Mas como a brincadeira é a dois, é preciso que os dois concordem", explica a sexóloga Maria Lúcia Pinheiro.

Segundo ela, a base do sexo é o diálogo e a liberdade entre os parceiros. E quando não se tem esse dois pré-requisitos fica complicado manter o relacionamento, quem dirá levar brincadeiras e objetos diferentes para o sexo. "Quando faz pa…

Da cama para o divã: como a terapia sexual pode ajudar casais em crise

HELOÍSA NORONHA
Colaboração para o UOL 
Dificuldade para chegar ao orgasmo, falta de desejo ou perda da libido, carência sexual relacional, distúrbios da menopausa e vaginismo (dor durante a penetração) são as principais queixas das mulheres. Eles, por sua vez, reclamam de ejaculação rápida ou precoce, diminuição da libido e dificuldade de manter a ereção. Se você se identificou com alguma dessas complicações, pode respirar com certo alívio. Afinal, hoje em dia, ter problemas sexuais não é um bicho-de-sete-cabeças, como também buscar ajuda profissional e fazer terapia sexual deixou de ser tabu. Com divulgação e discussão dos problemas sexuais, a atenção das pessoas tem resultado em mais compreensão desses problemas, assim queixas que antes eram secundárias passaram a ser as principais. “Um exemplo é o aumento de pacientes do sexo masculino reconhecendo a diminuição e falta de desejo sexual nos relacionamentos. Antes, há 15, 20 anos, esses homens consideravam que o pênis…