Diminuição do desejo sexual pode ser reflexo de Depressão

por Maria Lúcia Pinheiro
  
      O Desejo Sexual Hipoativo é um motivo frequente de reclamações no relacionamento amoroso,  e suas causas podem estar relacionadas a um estado de depressão. A pessoa gradativamente perde o ânimo e o interesse em manter relações sexuais, sua parceria estranha, sofre, se chateia, desconfia, e aí se instaura um complexo círculo vicioso difícil de reverter. Aquele se sente incompreendido, cobrado, pressionado. O outro, inseguro e rejeitado.As brigas tornam-se inevitáveis e o casal se vê diante de um impasse difícil de solucionar.
     A depressão abrange um complexo quadro sintomático, muitas vezes de difícil diagnóstico. Cada indivíduo deprimido vivenciará seus sintomas de uma maneira própria, particular, em função de sua história de vida, de seu contexto atual e personalidade. Em alguns casos, o próprio sujeito nem tem consciência de que está com depressão. E também não é tão fácil para quem convive com ele perceber que determinados comportamentos são reflexos de um transtorno já instalado. 
        É importante observar que, do mesmo modo, o desejo sexual hipoativo constitui um quadro sintomático de ausência do interesse sexual, há uma queda global no desejo sexual em todos os sentidos, de manter relações, de masturbação, de paqueras, conversas sobre o tema, vizualiação de pornografia, etc. Representa muito mais que estar cansado, com sono, preocupado, chateado com o parceiro, por exemplo, que são situações reais, concretas, que diminuem naturalmente o desejo, mas são situacionais, ocasionais.
     Para cada caso é preciso um diagnóstico diferencial e uma solução individualizada. A avaliação global do indivíduo dará suporte ao encontro das causas, ou seja, se o Desejo Sexual Hipoativo é em decorrência de causas hormonais ou fisiológicas, se é em decorrência de depressão, ou ainda, uma junção de todos esses fatores. 
     A depressão causa uma diminuição das atividades habituais, falta de disposição, alterações no apetite, irritabilidade, pessimismo, dores no corpo, sonolência ou distúrbios do sono. De uma maneira geral, quando esses fatores se agregam há uma diminuição também da libido. Se não há desejo em fazer muitas coisas, sexo também é uma delas. 
     A indicação terapêutica é de tratar a depressão e paralelamente agregar técnicas da terapia sexual para que haja um resgate das condições habituais.
     Vale ainda ressaltar que, mesmo que alguns dos remédios anti-depressivos possam causar uma diminuição da libido, seu uso é importante para que o sujeito possa sair do estado de depressão inicialmente para que seu desejo possa ser aumentado, paralelamente ao seu desejo pela própria vida!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terapia Sexual - como é?