A amizade é terapêutica - cultive seus amigos!

O estudo publicado na revista Child Development conduzido por pesquisadores da Radboud University Nijmegen da Holanda, analisou como a amizade pode regular o nível de cortisol auxiliando assim na diminuição do estresse.
O cortisol é um hormônio relacionado ao estresse humano, que mobiliza energia e nos ajuda a responder à ameaça potencial quando estamos sob estresse. O aumento dos níveis de cortisol é adaptativo - e nos ajuda a uma adequação a circunstâncias e a lidar com estressores quando eles aparecem - mas níveis cronicamente elevados podem resultar em efeitos negativos sobre como funcionamos, especialmente em nosso sistema imunológico.
Esta pesquisa analisou quase 100 alunos de uma quarta série do ensino fundamental - uma época que tem sido pouco estudada sobre esse assunto - para determinar se a vitimização e a exclusão pelos colegas de classe estavam relacionadas ao aumento do cortisol, e se amizades moderavam esta associação. As crianças foram parte de um estudo longitudinal de lactentes e do desenvolvimento de crianças, que foi realizado na Holanda e concebido para ser representativo da população holandesa.
Os Pesquisadores pediram as crianças para nomearem colegas de sala de aula que eram muitas vezes intimidados ou excluídos por outras crianças. Eles também pediram as crianças informações sobre o número de amigos que tinham dentro da sala de aula e a qualidade de suas melhores amizades.
Além disso, questionaram os pais das crianças sobre os problemas de comportamento e mediram os níveis de cortisol das crianças através de coletas de saliva cinco vezes a cada dois dias consecutivos.
Crianças que foram excluídas por seus colegas tinham níveis elevados de cortisol na análise da saliva, segundo o estudo. Sendo que elas tiveram um menor declínio no cortisol ao longo do dia. Ambos estes achados indicam que a exclusão é bastante estressante, e que foi ainda mais acentuada para aquelas crianças excluídas que tinham poucos amigos ou tinha amizades que foram caracterizadas como de baixa qualidade.
Outro ponto importante do estudo foi que a vitimização por colegas de classe não foi associada com consideráveis aumentos nos níveis de cortisol, sugerindo que a vitimização não é tão estressante como o processo de exclusão.
"Juntos, os resultados demonstram que, embora os amigos não possam eliminar completamente o estresse da exclusão na escola, eles podem reduzir os efeitos negativos para ao amigo excluído", segundo Marianne Riksen-Walraven, professora de psicologia do desenvolvimento na Radboud University Nijmegen. O estudo foi financiado pela Organização Holandesa para Pesquisa Científica.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terapia Sexual - como é?