Solteiro, sim! Inseguro e carente, não!

Sentir confiança em si mesmo é fundamental em qualquer aspecto da vida, porém dependendo do momento e das circunstâncias pode ser uma tarefa menos ou mais fácil.

Quando falamos de relacionamentos observamos muitas variações entre as pessoas, existem os muito confiantes, os inseguros, os temporariamente inseguros, os que se alternam entre todos os estados. Cada um será um produto da sua história, da vivência relacional acumulada e essa combinação determinará a postura que se terá na vida e o nível de confiança com o qual irá conduzi-la.

Também existem os que se apresentam seguros e confiantes profissionalmente porém inseguros quando o assunto é relação ou conquista afetiva. Parece um paradoxo, mas é algo bastante comum já que ao contrário da profissão, em uma relação toda a intimidade é descoberta e são reveladas as fragilidades e vulnerabilidades de cada, perde-se a capa protetora.

Partiria desse ponto para dizer que uma das maiores razões (possivelmente inconscientes) para uma pessoa ser insegura afetivamente, seria o medo de entrar em contato com suas dificuldades, fragilidades ou de as expor a um terceiro.

Um solteiro confiante é aquele que não se cobra muito, que reconhece seu valor, seu potencial, suas qualidades, assim como também seus defeitos, mas não os vê como inimigos ou como algo que os impossibilite de amar e ser amado.

Uma pessoa com atitude mais positiva na vida consegue captar melhor as oportunidades e assim tirar proveito dos caminhos que surgem, assim como transformar um caminho que inicialmente não parecia tão promissor. Um postura confiante, ainda que tenha suas inseguranças e receios, transmite ao outro sensações leves e agradáveis. Aquele que deposita no outro toda sua insegurança normalmente perde boas oportunidades já que sem que perceba faz do outro a solução para seus problemas.

Importante lembrar que uma relação não pode ser vivida como uma solução e sim como uma aposta no crescimento, na alegria, na construção amorosa. Quando uma pessoa é insegura demais, ela transfere para o outro a responsabilidade em torná-la feliz e em cenários assim dificilmente uma relação irá prosperar. Quanto mais confiante e otimista maiores as possibilidades de atrair pessoas igualmente interessantes ou melhor a chance de despertar aspectos interessantes no pretendente.

Portanto cuidado, sempre, para não esperar que o outro lhe traga as soluções para seus conflitos e dúvidas sobre si mesmo, uma relação deve ser cuidada para que seja uma troca e um espaço de engrandecimento da dupla!

Por Dra. Juliana Amaral
Psicóloga 

Fonte: Par Perfeito

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terapia Sexual - como é?