Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2012

Crianças diante da TV: sossego para os pais ou prejuízo global?

Gerações de crianças correm o risco de ficar viciadas em televisão, computadores e outros aparelhos eletrônicos, alertou um psicólogo britânico.
Durante uma conferência do Royal College of Paediatrics and Child Health que aconteceu nesta semana em Glasgow, na Escócia, o psicólogo Aric Sigman pediu que pais retomem o controle de seus lares.
Ele recomendou que a idade mínima para a primeira exposição da criança a uma tela seja de três anos de idade.
"Ser um pai passivo em relação às novas mídias é uma forma de negligência e não atende aos interesses das crianças".
Em sua pesquisa, Sigman coletou e analisou resultados de estudos em áreas como cardiologia, neurofarmacologia e obesidade infantil.
Segundo o especialista, quando completar sete anos de idade, uma criança nascida hoje terá passado o equivalente a um ano inteiro, 24 horas por dia, em frente a alguma tela.
Altos índices de exposição às telas quando a criança é pequena tendem a resultar em um estilo de vida com…

Vida sexual saudável é possível em qualquer idade

Entrevista concedida ao Jornal de Hoje, pela psicóloga e sexóloga Maria Lúcia Pinheiro, publicada em 15 junho 2012:
Ter satisfação sexual depois dos 70 anos é possível? Ovos de codorna, remédios farmacêuticos, catuaba, ajudam a melhorar o desempenho sexual? Prazer sexual é coisa só para jovens? Especialistas no tema informam que os avanços da ciência e a prática de hábitos de vida saudável permitem manter o desejo e a vida sexual ativa mesmo na terceira idade. A dica é de, tanto para jovens quanto os casais de mais idade,  manutenção constante do diálogo durante a vida em comum. O sexólogo João Benévolo Neto disse que mitos e preconceitos são as maiores causas de prejuízo ao desempenho sexual  70 anos. “Ter uma parceira interessante e interessada também ajuda” explicou o médico, acrescentando que já atendeu casos de o homem chegar e a afirmar que a mulher era frígida e depois perceber que o problema estava na relação do casal e não nela. Segundo o sexólogo existem doenças que…

Fingir orgasmo prejudica não só seu próprio prazer, mas também a saúde do relacionamento

Chegar ao orgasmo em uma relação sexual é sempre muito bom. Mas como isso nem sempre acontece, não é incomum que os parceiros acabem fingindo. O problema é que essa atitude tem consequências ruins para quem mente e prejudica o relacionamento, pois cria um cenário ilusório e empobrecido, sem margem para ousadias e enriquecimento. “Esse fingimento passa uma mensagem enganosa de que o que aconteceu foi suficiente para atingir o clímax sexual.
O parceiro vai pensar que o jeito que a relação foi conduzida é suficiente para o outro e o sexo tende a se repetir do mesmo jeito”, afirma a psicóloga Margareth dos Reis, terapeuta sexual e de casais do Instituto H. Ellis.
Para a psicóloga e sexóloga Carla Cecarello, o problema começa logo após o término da relação sexual. “A pessoa que fingiu sai péssima. Percebe que não foi sincera, plena, que está enganando. Pode chegar num ponto em que a situação fica insustentável e, mais tarde, isso vai explodir”, diz Carla.
Há vários motivos que levam algué…

Solteiro, sim! Inseguro e carente, não!

Sentir confiança em si mesmo é fundamental em qualquer aspecto da vida, porém dependendo do momento e das circunstâncias pode ser uma tarefa menos ou mais fácil.

Quando falamos de relacionamentos observamos muitas variações entre as pessoas, existem os muito confiantes, os inseguros, os temporariamente inseguros, os que se alternam entre todos os estados. Cada um será um produto da sua história, da vivência relacional acumulada e essa combinação determinará a postura que se terá na vida e o nível de confiança com o qual irá conduzi-la.

Também existem os que se apresentam seguros e confiantes profissionalmente porém inseguros quando o assunto é relação ou conquista afetiva. Parece um paradoxo, mas é algo bastante comum já que ao contrário da profissão, em uma relação toda a intimidade é descoberta e são reveladas as fragilidades e vulnerabilidades de cada, perde-se a capa protetora.

Partiria desse ponto para dizer que uma das maiores razões (possivelmente inconscient…

O Melhor presente para o Dia dos Namorados

Muitos se queixam da pressão que experimentam, conforme o dia dos namorados se aproxima: eles(as) precisam comprar um presente, mas nem sempre sabem o que dar.

O que percebo é que, apesar de todas as pressões do comércio e da mídia em geral, não é exatamente um presente o que as pessoas mais desejam no dia dos namorados. Quando os solteiros querem ter alguém, é claro que não é pelo presente. Quando quem tem um par celebram o dia dos namorados, o presente é a coisa de menor importância.

É verdade que dar um presente é um gesto simbólico, que tem um valor que vai muito além do financeiro. Um presente pode significar carinho, preocupação, vontade de agradar a outra pessoa, de dizer como ela é importante... Mas será que é somente o presente que demonstra tudo isso? Será que é realmente do presente que as pessoas necessitam? Penso que não.

O presente mais desejado não é exatamente aquele que pode ser comprado em uma loja, que tem um valor financeiro. O presente mais deseja…

Padrões de Uso da Internet podem indicar depressão

Em um novo estudo analisando o uso da internet entre estudantes universitários, os pesquisadores da Missouri University of Science and Technology descobriram que estudantes que mostram sinais de depressão tendem a usar a Internet de modo diferente daqueles que não mostram sintomas de depressão.
Utilizando dados reais de internet coletados da rede da própria universidade, os pesquisadores identificaram nove tipos bem definidos de padrão de uso de internet que podem indicar depressão. Por exemplo, estudantes mostrando sinais de depressão tendem a usar serviços de compartilhamento de arquivos mais do que suas contrapartes e, também, utilizam a internet de maneira mais aleatória, frequentemente mudando entre diversos aplicativos.
A descoberta dos pesquisadores fornece novos insights sobre a associação entre o uso da internet e a depressão, em comparação com estudos existentes, diz o Dr. Sriram Chellappan, Ph.D. e professor assistente de Ciências da Computação na Missouri …

A cura pela palavra: a psicoterapia reorganiza circuitos neurais

Uma das principais críticas às ideias de Sigmund Freud sobre o funcionamento da mente é a suposta ausência de comprovação científica, apesar dos resultados práticos no tratamento do sofrimento psíquico e seus sintomas. No entanto, os avanços na técnica de neuroimageamento têm possibilitado o estudo dos efeitos cerebrais do método da “cura pela palavra”.
Duas pesquisas, da Universidade de Amsterdã e da Universidade de São Paulo (USP), mostram que a psicanálise e a psicoterapia causam alterações em áreas neurais relacionadas à tomada de decisões e ao controle das emoções. Pesquisadores holandeses registraram durante quarto meses a atividade cerebral de 35 voluntários diagnosticados com transtorno de estresse póstraumático (TEPT). Parte deles frequentou sessões de psicanálise e o restante não passou por nenhum tipo de psicoterapia. As imagens revelaram que o grupo que fez o tratamento apresentou maior atividade no córtex pré-frontal. Além disso, os pacientes mostraram- s…